Home/ Noticias/ CAMPANHA SALARIAL - SP/2016

APESAR DA INTRANSIGÊNCIA DOS PATRÕES, CATEGORIA SAI VITORIOSA!

Na assembleia realizada hoje (11/11), os trabalhadores aprovaram a proposta de reajuste salarial de 8,50%, aplicado de forma linear, alm da manutenção de todas as clusulas econômicas e sociais que constam na Convenção Coletiva de Trabalho. Essa foi uma importante vitria para a nossa categoria!

Todos sabem que essa Campanha Salarial foi muito difcil para nossa categoria. Durante as negociações, o sindicato patronal insistia em apresentar uma proposta de reajuste bem abaixo da inflação e a retirada de todas as clusulas econômicas e sociais da nossa Convenção Coletiva de Trabalho. Ou seja, acabava com direitos como adiantamento salarial (vale); Dia do Padeiro; Horas Extras de 55%; Adicional Noturno de 37%; Participação nos Lucros e Resultados (PLR); Cesta Bsica; Convênio Mdico, entre outros.
 
Para que você tenha uma ideia da batalha que a Comissão de Negociação do nosso Sindicato teve de enfrentar, na primeira reunião, os patrões chegaram a oferecer um reajuste de 6%, divido em duas parcelas: uma que seria paga nos salrios recebidos em novembro e outra para o ano que vem. Alm da retirada das clusulas econômicas e sociais.
 
Porm, nosso Sindicato, juntamente com a Comissão de Negociação formada por trabalhadores e trabalhadoras da nossa categoria, deixou bem claro para os patrões que essa proposta era inaceitvel e que, portanto, as negociações s teriam sentido de continuar caso eles recuassem e apresentassem uma proposta de reajuste partido do ndice medido pelo IMPC e, principalmente, que mantivessem todas as clusulas da Convenção Coletiva de Trabalho vigente. Sem isso, as negociações seriam suspensas.
 
Chiquinho Pereira, presidente do nosso Sindicato, foi taxativo ao afirmar que os trabalhadores não têm mais condições de perder nenhum direito. Afinal, são mais de dois anos de profunda crise e, at agora, os governos e os patrões s têm tirado das costas dos trabalhadores as soluções para o problema. A situação do pas grave. Todos os brasileiros têm consciência disso. Porm, as medidas s têm afetado diretamente os direitos dos trabalhadores e penalizado a população. 
 
Diante do impasse e sob a ameaça de greve da categoria, os patrões recuaram e fizeram a proposta de reajustes vinculada ao ndice do INPC, que de 8,50%, e a manutenção de todas as clusulas da nossa Convenção Coletiva de Trabalho. O reajuste ser aplicado de forma linear para todos os itens, com exceção do valor do Dia do Padeiro, que ser congelado e rediscutido na Campanha do prximo ano.
 

 

Portanto, apesar da intransigência dos patrões, nossa categoria saiu vitoriosa, pois ao contrrio de muitas categorias no pas, conseguimos preservar nossos direitos na CCT e repor a inflação do perodo. Isso, graças capacidade de negociação e o compromisso do nosso sindicato com a defesa dos direitos dos trabalhadores e, fundamentalmente, pela participação de inmeros companheiros e companheiras nas assembleias e nas reuniões de negociações. Os patrões sentiram na pele nossa unidade, garra e determinação em lutar para defender nossos direitos.